A importância de conhecer o tipo sanguíneo do cão

Os grupos sanguíneos nesta espécie são reconhecidos pelo Dog Erythrocyte Antigen (DEA), ou Antígeno Eritrocitário Canino. E são divididos em 13 tipos


A estrutura biológica dos cães é bem semelhante a dos humanos. Um bom exemplo disso é quanto ao tipo sanguíneo que esses animais possuem, tendo em vista que eles também são divididos em grupos quando o assunto é o sangue.

No seres humanos os tipos são A +, B +, AB + e O + , sendo que todos eles possuem a versão negativa. Já no caso dos peludos, há uma diferenciação, uma vez que os grupos sanguíneos nesta espécie são reconhecidos pelo Dog Erythrocyte Antigen (DEA), que em português refere-se ao Antígeno Eritrocitário Canino.

A importância de conhecer o tipo sanguíneo do cão

Foto: depositphotos

O DEA pode ser dividido em 13 tipos de sangue, contanto com os positivos e os negativos. Contudo, toda esta variação pode ser prejudicial aos animais,uma vez que dificulta a procura por um animal compatível com outro.

Portanto, quanto mais tutores souberem do tipo sanguíneo do peludo, mais vidas poderão ser salvas.

A importância de conhecer o tipo sanguíneo do cão

Acidentes e incidentes acontecem a todo momento e os cães não estão livres deles. Em muitas situações pode ocorrer a perda de sangue e por isso é necessário que o animal ferido receba transfusões de material sanguíneo.

No primeiro momento, o sangue doado não precisa ser compatível com o tipo sanguíneo do paciente, contudo se for necessário uma nova transferência deste material é imprescindível que seja do mesmo tipo.

Saber qual é o tipo de sangue do animal é importante pois esta informação poderá salvar a vida dele ou ajudar a salvar a vida de outro peludo que precise de transfusão.

Em quais ocasiões a transfusão é necessária?

Existem algumas doenças que causam hemorragia no cachorro e por isso facilitam a perda de material sanguíneo. Sendo necessário que o animal receba transfusão, para repor o sangue perdido.

Além disso, a erliquiose, mais conhecida como a doença do carrapato, deixa as plaquetas sanguíneas baixas. Assim, o animal que a possui precisa de mais sangue no organismo, principalmente se a patologia já está avançada.

Anemia é outro problema de saúde que ao ser diagnosticada pelo veterinário, faz o organismo canino necessitar de transfusão de sangue.

Transfusão de sangue: um ato de salva vidas

Para doar, é necessário que o cão esteja com a saúde em dia, portanto antes de fazer as transfusões, o veterinário vai indicar uma bateria de exames para o peludo doador.

Os veterinários alertam que os cães só podem doar se estiverem acima de 28 quilos, com a saúde perfeita e que esteja, em jejum por quatro horas. O procedimento de coleta não demora, durando até 30 minutos, no máximo.

Após o processo, o doador precisa se alimentar para repor as energias.


Reportar erro