Maltês

Companheiro, afetuoso e brincalhão: veja as características desta raça originária da região de Malta


O Maltês é uma pequena raça canina proveniente da região de Malta, um arquipélago localizado no Mar Mediterrâneo, ao sul da Sicília, na Itália. A ilha de Malta foi um dos primeiros portos comerciais e os cães desta raça são mencionados em documentos que datam de 300 a.C e a arte grega apresenta malteses desde o século V. Os cães foram exportados pela Europa e Ásia, no entanto, o grupo de Malta se manteve relativamente isolado de outras raças, resultando em um cão único.

Inicialmente, os ancestrais do maltês eram usados com o objetivo de caçar ratos e camundongos nos navios e armazéns das cidades marítimas do Mediterrâneo, de onde eram originários. As primeiras referências deste cão, no entanto, são datadas dos tempos dos egípcios.

No início do século XIV, os malteses foram levados à Inglaterra, onde caíram no gosto das damas da sociedade, de onde adquiriram fama de serem “cães de colo” e “fofos” graças à grande quantidade de pelos. Era um cão muito referido em obras escritas e pinturas.

Existe, curiosamente, uma obra de arte que fala sobre esse cão: “O Cão Leão de Malta, Último da Raça”, que dá a entender que os queridinhos e pequeninos cães já estiveram em risco de extinção. O nome cão leão se dá, provavelmente, à tosa normalmente usada por seus criadores, principalmente na Ásia, que deixa uma espécie de juba.

Trata-se da raça mais antiga de cães toys europeus, estando, inclusive, entre as raças mais antigas do mundo e, atualmente, uma das mais populares. Saiba mais sobre este pequeno cão afetuoso, companheiro e cheio de energia.

Características do Maltês

O cão é de pequeno porte, e normalmente é atribuída à ele a característica de “cão de colo” por ser bastante afetuoso e companheiro (inseparável, diga-se de passagem, pois não consegue ficar sozinho por nada!). Sua pelagem é densa, clara, longa, brilhante, mas também pesada e lisa, podendo apresentar coloração branca com algumas manchas. Apesar de ser normalmente branca, alguns malteses, no início, nasciam em outras cores.

É importante saber que os cães dessa raça não gostam de ficar sozinhos, mas são facilmente adaptados ao estilo de vida do dono. Por não se adaptarem à solidão, os cães da raça maltês não são nem um pouco indicados às pessoas que passam o dia fora e não tem tempo para educar adequadamente o filhote.

Sua personalidade é alegre, ativa e muito cheia de energia e, consequentemente, extremamente brincalhão. Se dão bem com pessoas, adultos ou crianças, assim como outros cães e animais. O cão, no entanto, pode não se dar bem com estranhos e latir bastante, apesar de não ser um cão ideal para proteger a casa. Tem baixa tolerância ao calor e tolerância média ao frio, preferindo temperaturas medianas.

Por ter grandes níveis de energia, o cão exige a prática de atividades físicas regulares que pode ser com pequenas brincadeiras no quintal de casa, pequenas caminhadas com coleira ou outras atividades, mas com uma frequência mínima de três vezes na semana.

Um dos problemas que envolvem os cães dessa raça é a dificuldade em ser adestrado. Ele deve ser acostumado ao adestramento desde cedo e não se adapta aos quintais, sendo um cão para dentro de casa e apartamentos. Quem não tem habilidade para adestrar, pode procurar dicas com adestradores profissionais e até mesmo realizar cursos de adestramento. Isso pode ajudar muito.

Os machos dessa raça tem altura entre 21 e 25 centímetros, enquanto as fêmeas ficam entre 20 e 23 centímetros. O peso, para ambos os gêneros, fica entre três e quatro quilos.

Cuidados com o Maltês

Os pelos do maltês, por serem longos, devem ser escovados diariamente e os banhos devem ser dados semanalmente ou até a cada cinco dias. Pode ser, no entanto, mesmo com os banhos e escovações, difícil manter sua pelagem branca em alguns locais. As necessidades de exercícios físicos regulares, a vida dentro de casa e a companhia da família devem ser satisfeitas.

Lembre-se que, por ser um cão relativamente teimoso, pode ser um pouco difícil adestra-lo. Paciência e dedicação, além de carinho e esforço, são essenciais para adestrar um cão maltês, que deve ser treinado desde filhote.

A saúde do Maltês

Apesar de ser um cão pequeno e delicado que não se dá bem em áreas externas da casa, o maltês é um cão que não traz grandes preocupações ao seu tutor. De forma secundária, podem apresentar luxações da patela, fontanela aberta, hipoglicemia, hidrocefalia, distiquíase, entrópio, surdez, síndrome do tremor do cão branco, entre outras doenças comuns geneticamente.

A expectativa de vida deste cão é de 12 a 14 anos, podendo, em casos mais raros, chegar aos 18 anos, sendo saudável quando bem cuidado.

*Com a colaboração de Lia Vieira

 

Galeria de fotos


Reportar erro