Bulldog

Ao contrário do que parece, o bulldog é um cão dócil, amável e extremamente leal


O bulldog ou buldogue é um daqueles cães que te fazem atravessar a rua para não se aproximar dele? Se a resposta for afirmativa, sugerimos que você leia esta matéria até o final e reveja alguns conceitos. Os cães da raça bulldog são muito populares nos dias de hoje, é possível encontrá-los em casas e apartamentos, como cães de guarda ou dóceis cães de companhia.

Conheça um pouco mais sobre a história dessa raça marcante e como estes cães são no que tange ao seu temperamento e porte físico.

História da raça

Assim como a história de outras raças, a origem do bulldog ainda não é totalmente clara. Alguns historiadores acreditam que esta raça deriva de antigos cães de guerra, que possuíam ótimas qualidades como cães protetores das propriedades e rebanhos, sendo muito usados pelos ingleses. No entanto, uma das teorias mais aceitas é a de que a raça bulldog é originária da Inglaterra e foi criada pelos britânicos para serem cães extremamente fortes, ferozes e agressivos, que participariam de rinhas com touros, no intuito de combatê-los e entreter o público.

O bulldog não é um cão que tenha facilidade em se procriar de forma natural, pois seu nariz levemente inclinado para cima evita que ele resfrie o organismo, levando ao superaquecimento e comprometendo assim sua energia, assim como as fêmeas que possuíam pernas tortas (para driblar os touros) as quais não permitiam uma adequada dilatação para a passagem de seus filhotes.

No ano de 1835, as rinhas foram proibidas e cogitou-se cessar a procriação de bulldogs, levando a raça à extinção. No entanto, esses bichinhos fortões já haviam conquistado uma grande legião de fãs, que levou sua procriação adiante, com o objetivo de eliminar toda e qualquer agressividade, e deu para eles outra função: a de amáveis cães de companhia, deixando o antigo temperamento da raça em um passado bem distante.

Padrão temperamental

Ao contrário do que diz o início de sua história e a cara de mau, o bulldog é um cão dócil, cômico, amável e extremamente leal. São bichos carentes, que gostam de atenção e podem ser simpáticos com todos, mas sua lealdade e amor incondicional serão direcionados para apenas uma pessoa. Ao contrário de outras raças, o bulldog não costuma ter mais de um líder nato, e é capaz de dar a sua vida pela pessoa que ele escolher como seu dono. Em alguns casos, se não for corretamente educado desde cedo, pode ser tão protetor que se torna ciumento, possessivo e sim, agressivo. Tolerantes e muito pacientes, é uma raça que tem grande afinidade com as crianças e ainda se dá bem com outros cães e animais. Seus sentidos são extremamente apurados, o que o torna um cão muito alerta e valente, a combinação perfeita para quem busca um cão de guarda em quem possa confiar de olhos fechados. No entanto, não se iluda, os bulldogs são de índole afetuosa, é pouco provável encontrar um realmente disposto a morder – a não ser que sinta perigo para si ou para alguém de sua “matilha”, seu dono e sua família.

É um dos cães mais difíceis de serem adestrados, pois é teimoso e tem dificuldade para aprender comandas. Por este motivo, precisa de um líder com regras claras e limites. Os bulldogs são ótimos mordedores – e não apenas os cães jovens –, por isso, é importante fornecer brinquedos de mastigação aos mesmos.

Padrão físico

Comumente baixos e fortes, os buldogues podem ser considerados cães de porte médio. O peso da fêmea costuma ser de 23 quilos, enquanto o do macho varia entre 24 e 25. A altura tanto de machos como fêmeas pode variar entre 30 e 38 centímetros.

A cabeça é grande em relação ao corpo, o focinho é pequeno e as pernas são curtas e fortes. Os pelos são curtos e a pelagem pode apresentar-se de uma cor apenas (fulva ou fulvo-malhada), multicolorida ou branca.

Cuidados especiais

Você já deve ter reparado que a grande maioria dos bulldogs aparenta estar “acima do peso”. De fato, é uma raça naturalmente forte e baixa, mas eles possuem grande tendência para desenvolver a obesidade, e adoram apreciar uma boa refeição. Para que o seu bulldog se mantenha saudável e com peso adequado, recomenda-se que ele pratique atividades físicas com regularidade, como longas caminhadas num ritmo mediano, para também desenvolver a sua capacidade respiratória. É comum que estes cães tenham dificuldades respiratórias e, por isso, os exercícios devem ser evitados durante os dias quentes e úmidos.

Os cães desta raça também têm o corpo com muitas dobrinhas, as quais podem acumular umidade e gerar dermatites, assaduras e feridas. Os cuidados com a pelagem são mínimos, porém, é necessário que as dobrinhas cutâneas recebam limpeza diária, a qual deve ser finalizada sempre com uma passada de toalha seca para retirar a umidade.

As anomalias hereditárias e congênitas também podem acometer os cães desta raça, incluindo displasia coxofemural, entrópio, obstrução das narinas, alongamento do palato e fenda palatina em filhotes. A expectativa de vida do bulldog é de 8 a 10 anos da idade.

É importante saber também que o bulldog possui baixa resistência ao calor e frio excessivos, sofrendo em temperaturas altas como o verão do Brasil ou um inverno do lado de fora da casa. Assim, convém mantê-lo sempre com água fresca a disposição, em ambiente ventilado e com banhos regulares para refrescar-se durante o verão. Em épocas frias, vale colocar roupinhas no pet e deixá-lo com cobertores quentinhos.

Galeria de fotos


Reportar erro