O que devo fazer ao encontrar um cão na rua?

Confira dicas de cuidados e passos importantes no resgate de um amiguinho de 4 patas


Se você encontrou um cachorro abandonado na rua e não sabe como reagir, fique calmo. Você não está sozinho. Essa é uma das situações mais difíceis para os protetores de animais e aqueles que simpatizam com a causa. Os cães abandonados vivem em uma realidade parcialmente invisível, sendo chutados e tocados de todos os cantos diariamente, passando frio, fome, medo e tudo que as pessoas também sentem, mas sem entender por quais motivos foram abandonados.

Dá para imaginar o que um cãozinho que, ontem, tinha casa, comida, carinho e brinquedos, de repente está na rua sem aqueles que ama? Pois é. Infelizmente, isso é muito comum e enche nossos corações de dor e tristeza. Existe um descontrole completo quanto à natalidade dos animais que vivem nas ruas e a política atualmente não é capaz de lidar com esse problema social.

Segundo a Organização Mundial da Saúde, no Brasil existem em torno de 30 milhões de animais abandonados, tendo uma média de 20 milhões de cachorros e 10 milhões de gatos (algo como um cachorro para cada cinco habitantes). Mas é possível ajudar.

Como agir ao encontrar um pet abandonado?

Em primeiro lugar, tenha cuidado ao chamar ou se aproximar. Muitos cães estão sofrendo tanto que acabam agindo de forma agressiva por não confiar mais em humanos. Leve sempre alguma comida para atrair o animal e tenha paciência, seja persistente. Leve, se possível, uma caixa de transporte ou, no caso de gatos, coloque armadilhas seguras de gaiola, pois eles não se aproximam com facilidade.

Não deixa-lo desamparado já é um grande passo. Em seguida, leve-o ao veterinário para checar a saúde e ver os tratamentos necessários. Normalmente, os cães que estão nas ruas possuem a saúde enfraquecida, pois estão constantemente expostos ao tempo e não se alimentam direito. Caso não encontre veterinários que façam o trabalho social, você deverá arcar com a conta.

O que devo fazer ao encontrar um cão na rua?

Foto: Reprodução

Não tenho dinheiro, e agora?

Bem, se você não tem dinheiro para custear o veterinário e possíveis medicamentos, considere pedir ajuda de amigos e familiares, fazer uma rifa ou até mesmo uma vaquinha virtual. Algumas clínicas, no entanto, oferecem tratamentos neste caso com custo mais baixo ou até mesmo sem custo.

Castração

A castração do animal de rua – e de casa também! – é essencial para que, posteriormente, seja disponibilizado para a adoção. Doar sem castrar pode ser muito pior, pois esse cão poderá passar pela cruza e gerar mais filhotes que poderão passar pelo que ele passou também. Quando não tiver recursos financeiros para isso, confira na prefeitura de sua cidade, pois muitas instituições arcam com os custos, além de médicos veterinários que fazem a castração por preços mais em conta.

Lar temporário

Quando o animal está em tratamento, precisa receber amor e carinho e, mesmo que você não possa se comprometer a longo prazo com os cuidados do cachorro, ofereça lar temporário até que ele se trate, ou até encontrar alguém que possa ajudar.

Não tenho espaço, o que posso fazer?

Se você quer resgatar um animal, mas não tem espaço em sua casa ou apartamento, você pode procurar por um lar temporário entre seus amigos. Além disso, existem hotéis de pets que fazem preços mais em conta ou até mesmo atuam como lares temporários.

Não adianta pedir ajuda constante aos abrigos, pois eles fazem esse trabalho diariamente e, constantemente, estão lotados e cheios de contas de clínicas para pagar. O mesmo vale para os CCZs que normalmente estão lotados.

Não tenho tempo para resgatar e cuidar do cão

Procure sempre encontrar pessoas que possam ajudar você com esse gesto bonito. Mesmo que ele fique tempo sozinho em sua casa, isso será melhor que as ruas, certo? Procure compensar o tempo sozinho com a atenção e passeios quando chegar.


Reportar erro