Governo chinês proíbe carne canina em festival de Yulin

A medida passa a valer dias antes do festival que mata anualmente 10 mil cães para comercializar a sua carne


Recentemente foi veiculado em diversos meios de notícias a decisão do governo de Taiwan de banir o comércio e o consumo de carne canina e felina em todo o país.

Aqueles que descumprirem a norma estarão sujeitos a mutas de mais de R$ 200 mil reais e até cinco anos de prisão. O país se tornou o primeiro da Ásia a tomar essa decisão.

Em uma região da China chamada Guangxi, mais especificamente na cidade de Yulin, acontece anualmente um festival durante o solstício de verão, nesse festival são preparados vários pratos onde o ingrediente principal é a carne de cachorro. Em 2013, cerca de 10 mil cães foram abatidos das maneiras mais cruéis possíveis; alguns sendo eletrocutados, queimados (geralmente com água fervente) e até mesmo esfolados até a morte.

Fotos: Reprodução/ Humane Society International

Diversos artistas já gravaram vídeos protestando e já foram feitas diversas petições contra a celebração pedindo o seu fim. Além disso, diversas ONG’s lutam há anos, das mais diversas maneiras, resgatando animais de criadouros na China. Felizmente, a luta parece finalmente está chegando ao fim.

A partir do dia 15 de junho, poucos dias antes do festival de Yulin (21 de junho), todos os restaurantes e comerciantes estão terminantemente proibidos de comercializar carne oriunda de cães. A norma prevê multas de até 

Apesar da medida, muito provavelmente, ser apenas temporária, ela é um grande passo para o fim do mercado de carne de cães e os maus tratos para esses animais tão especiais para nós.


Informar erro