Dirofilariose atinge cães no litoral do Nordeste

Doença é provocada por vermes que se alojam nas artérias do coração


De acordo com uma pesquisa auxiliada por especialistas de diversas universidades brasileiras, publicada em 2014, foi apontado que cerca de 50% dos cães que vivem nas regiões nordestinas litorâneas do estado de Pernambuco sofrem de dirofilariose, doença parasitária provocada por vermes que se alojam, principalmente, nas artérias do coração.

Essas regiões possuem esse índice tão elevado porque a mistura de calor e umidade torna o ambiente perfeito para a proliferação dos mosquitos transmissores da doença. As fêmeas dos gêneros “culex” e “aedes” (não o transmissor da dengue), se reproduzem exatamente nessas condições. Segundo a pesquisa, 49,5% dos cães da Ilha de Itamaracá e 36,7% do Recife estão contaminados.

Dirofilariose atinge cães no litoral do Nordeste

Foto: Reprodução/ internet

A doença é conhecida popularmente como “verme do coração”, e qualquer cachorro está sujeito a contrair. Uma vez picado, as larvas infectantes migram através da corrente sanguínea até o coração do animal, onde maturam e tornam-se parasitas adultos. Alguns animais podem desenvolver até 100 vermes, que medem de 10 a 15 centímetros, em formato de macarrão.

Como muitos dos sintomas (tosse, falta de ar, língua escura, emagrecimento e intolerância a exercícios) só aparecem quando a doença já está avançada, o cenário clínico acabou agravando-se consideravelmente. O melhor tratamento, portanto, é a prevenção.

Essa prevenção pode ser feita com medicamentos ministrados uma vez por mês. Podem ser comprimidos usados por via oral, ou pipetas colocadas no pescoço dos animais. De acordo com a veterinária Ana Valéria Calderon, existem medicamentos que matam as microfilárias e outros que atingem os vermes adultos, e que devem ser ministrados mensalmente.


Reportar erro