Cão salva a vida de águia-de-cabeça-branca ferida

Cadela Kenai encontrou a ave ferida enquanto passeava próximo de um rio


Uma golden retriever de 3 anos de idade chamada Kenai, estava passeando junto a sua tutora Kerrie Burns e uma amiga pelas redondezas do Rio Sucker, quando de repente, algo chamou a atenção da cadela. Ela encontrou uma águia-de-cabeça-branca ferida.

Kenai começou a latir para chamar a atenção, e em seguida tentou se aproximar da ave, que por medo, hesitou e se afastou. Ao chegarem perto da águia, estranharam o fato dela não ter saído voando ou algo do tipo, e como já estava escurecendo, Kerrie e sua amiga, Pam Weber decidiram voltar no dia seguinte com ajuda para resgatar a ave.

No dia seguinte…

Ao voltarem no outro dia, não encontraram mais a águia no mesmo lugar do dia anterior, mas graças a neve, elas puderam seguir as pegadas do pássaro que não estava muito longe do local. Com a ajuda de duas pessoas do Departamento de recursos naturais de Minnesota (MDNR), eles conseguiram resgatar a ave. Após ser capturada, a águia foi levada para a Wildwoods Rehab, um centro de reabilitação para animais selvagens.

De acordo com a página do Facebook do Wildwoods Rehab, a águia estava abaixo do peso e com as penas congeladas. Além disso, a ave estava ferimento na sua asa esquerda, o que a impossibilitava de voar. Algum tempo depois, a ave foi transferida para o The Raptor Center, um local especializado em aves de rapina. Após passar por mais exames, descobriram que a ave não estava só ferida, como também envenenada por chumbo.

Cão salva a vida de águia-de-cabeça-branca ferida

Foto: Reprodução/ Facebook Wildwoods

Os veterinários acreditam que a águia possa ter se alimentado de um cervo morto, deixado para trás por um caçador, visto que, a temporada de caça para esses animais está aberta. Alguns tipos de munição possuem chumbo, o que dá grandes chances de envenenamento a um animal que se alimente da carne do animal baleado. Apesar de tudo, a ave tem grandes chances de se recuperar e voltar logo para a natureza.

Assim, se não fosse por Kenai e seus instintos caninos, talvez a pobre águia ficasse no local até morrer congelada ou de fome.

Via Life With Dogs e BarkPost


Reportar erro