Ativista salva mil cães de festival chinês que iria sacrificá-los

Anualmente, cerca de 10 mil cães são mortos durante o Festival de Carne de Cão do Soltício de Verão de Yulin, na China


Todos os anos, a cidade de Yulin, na China, sedia o Festival de Carne de Cão do Soltício de Verão de Yulin, um tipo de celebração que mata vários cães para que estes sirvam de alimento para os turistas da festividade. Os animais são mortos das maneiras mais cruéis possíveis, alguns chegando a ser eletrocutados ou esfolados. Cerca de 10 mil animais são mortos todo os anos durante o festival.

Em decorrência disso, o ativista animal americano Marc Ching, cansado de ver tal situação, decidiu agir. Juntamente com a sua namorada, ele viajou até a China e os dois se passaram por negociadores de cães para o abate e, assim, compraram mil cães e os enviaram para os Estados Unidos, para que pudessem receber os tratamentos necessários para que fossem reabilitados e postos para adoção.

ativista-compra-mil-caes-de-festival-de-carne-na-china

Fotos: reprodução/ Facebook/ The Animal Hope & Wellness Foundation

caes-presos-em-jaulas-na-china

Marc fundou em 2011 a ONG The Animal Hope & Wellness Foundation, que tem como principal trabalho justamente o resgate de cães que inicialmente seriam abatidos. Em alguns casos, os voluntários da instituição conseguem convencer os donos de abatedouros a não fazerem mais o ato cruel, oferecendo-os um incentivo financeiro, para que eles possam começar um novo negócio.

Revoltados com o cruel festival, ativistas dos direitos dos animais criaram um abaixo-assinado que será enviado até os líderes políticos da China quando atingirem o número de inscrições necessárias. Com uma meta de três milhões de assinaturas, a petição precisa de menos de 500 mil assinaturas.

Com informações do Hypeness


Reportar erro