Após discussão, homem chuta cão de vizinha e animal morre no RS

Discussão teria sido motivada por suposta urina do cão na frente da casa do agressor


Uma discussão entre vizinhos no bairro Santana, em Porto Alegre (RS), pode ter causado a morte do cãozinho de estimação de um dos envolvidos. Segundo a dona do yorkishire Theo, Isabel Cristina Maciel Luz, ela passeava com o animal, quando foi abordada por um vizinho que passou a discutir com ela acusando o cão da mesma de ter urinado na frente da casa dele.

Antes que ela pudesse se explicar ou argumentar, o homem chutou o cão bruscamente ao ponto do animal ser arremessado até o outro lado da rua. Apesar de ter sido socorrido e encaminhado imediatamente para o veterinário, Théo, que já tinha 11 anos, não resistiu aos ferimentos e morreu. O yorkshire foi diagnosticado com hemorragia interna, traumatismo craniano, alguns ossos quebrados e fígado e baço fraturados.

theo

Foto: Reprodução/ Facebook/ Isabel Maciel

Após o caso ter sido denunciado, um inquérito policial foi aberto para investigar o crime. Já foram ouvidas duas testemunhas e a polícia está em busca de imagens de câmeras de segurança nos arredores do local do ocorrido. O autor do crime não teve a identidade divulgada pela polícia. Caso seja condenando pelo crime de crueldade contra animais, o suspeito pode ter que cumprir até dois anos de prisão.

Repercussão

Já no último domingo (1) foi organizada uma “cãominhada” como protesto para pedir a punição do homem que chutou Theo. Cerca de 200 pessoas compareceram ao evento, que teve inicio na Rua São Luiz e seguiu até a Igreja São Francisco, que é o santo protetor dos animais. Como forma de manifestação, alguns participantes do ato espalharam dejetos de animais na frente de um estabelecimento comercial identificado como sendo do suposto autor da agressão ao cão.

Nessa segunda-feira (2), o vereador da capital gaúcha Rodrigo Maroni (PR), conhecido por ser envolvido com questões de proteção animal, foi até o local para tentar conseguir mais informações sobre a morte do cão. Todavia, um grupo de aproximadamente 15 homens foi ao encontro de ele e o agrediram.

Segundo o vereador, os suspeitos tinham barras de ferro, um capacete e ele diz ter visto dois dos indivíduos portando armas de fogo. Após a agressão, Rodrigo gravou alguns vídeos os quais ele postou em seu Facebook e foi até a 3ª Delegacia de Polícia de Porto Alegre, onde registrou queixa. Até a publicação deste texto, no entanto, ninguém havia sido identificado pela polícia.

Com informações do Zero Hora e Jornal Floripa


Reportar erro