Descubra as formas e os benefícios das terapias com animais

Há várias formas de introduzir um cachorro no tratamento de alguém. As mais utilizadas são: Atividade Assistida por Animais e Terapia Assistida por Animais


As pessoas que criam e cuidam de cachorros em casa sabem que esses animais possuem a capacidade de auxiliar seus tutores em momentos difíceis da vida, como problemas psicológicos, financeiros, casos de doenças etc. Não é à toa, portanto, que os cães são conhecidos como os melhores amigos do homem. Provando que são seres fiéis e companheiros.

Alguns cães, porém, vão além de ajudar os seus tutores a enfrentar problemas. Eles também são utilizados na recuperação de pacientes, em sua maioria de crianças e idosos. Há várias formas de introduzir um cachorro no tratamento de alguém, mas as mais utilizadas são: Atividade Assistida por Animais (AAA) e Terapia Assistida por Animais (TAA). Antes de entendê-las, veja como os animais são escolhidos.

Como ter um animal de terapia?

Assim como os cães, outros animais também podem servir como ajudantes na recuperação de pessoas com algum problema de saúde. Porém, os cachorros acabam sendo os mais utilizados pelo fato de serem facilmente adestrados. Acariciar o animal, já é em si parte de um tratamento, isso porque além de proporcionar movimentos motores, esse ato ajuda os pacientes a se manterem calmos.

Para ter um cachorro terapêutico é necessário consultar centros especializados que participam de projetos de terapia animal. Essas instituições avaliam o comportamento do animal, percebendo se o mesmo é calmo, obediente, de confiança e carinhoso. Esses são alguns dos pré-requisitos para tornar o cachorro em um auxiliar da saúde. Depois, são feitos alguns treinamentos e o animal só será capaz de completar o percurso, se ele conseguir realizar as atividades propostas sozinho.

Descubra as formas e os benefícios das terapias com animais

Foto: Reprodução/ internet

Atividade Assistida por Animais (AAA)

Neste tipo de trabalho desempenhado pelo cachorro, o que vale é a diversão. Este módulo serve para que o paciente fique entretido ao brincar com o pet. Geralmente dura até uma hora, e nesse tempo o cão propõe diversas atividades divertida com o paciente, como brincar com a bola. O momento é sempre conduzido pelo dono do animal ou por um profissional de saúde.

Terapia Assistida por Animais (TAA)

Nesse caso, os cães podem ser considerados parte do quadro de médicos. Isso se deve ao fato de que eles são utilizados para tratar a doença em si e não como uma distração para os pacientes. Neste módulo, o pet ajuda o doente a desenvolver a fala e a coordenação motora, bem como a diminuir os problemas psicológicos e respiratórios.

Por exemplo, exercícios fonoaudiólogos são feitos através do simples ato de chamar o cachorro pelo seu nome. O paciente consegue assim, ter um momento descontraído e ainda assim aumentam sua dicção. As pessoas hospitalizadas também conseguem realizar tratamentos fisioterapêuticos com os cães, uma vez que acariciar, jogar a bola e pentear os pelos do animal são formas eficazes para conseguir uma melhor desenvoltura na coordenação motora.

Além disso, a convivência com cachorros ajudam a diminuir a ansiedade e a dor, pois esta relação com o pet faz o paciente a liberar endorfina  o que para tratamentos psicológicos é altamente eficaz. Esse convívio também estimula o organismo a desenvolver defesa das células, otimizando o corpo a conviver com bactérias e consequentemente, diminuindo os casso de alergias e doenças respiratórias.


Reportar erro