Cachorros podem representar uma terapia para presidiários

Não é novidade que cachorro é o melhor amigo do homem. A pet terapia tem sido um importante remédio no combate à depressão


Todo mundo passa por um momento de profunda tristeza, solidão ou luto. Muitas vezes essas dores são situações difíceis de serem superadas e muita gente precisa fazer um acompanhamento com especialistas para conseguir virar a página.

Há muitos casos de depressões profundas no interior dos presidiários. Isso acontece devido a motivos como a culpa pelo crime, o fato de estarem longe das famílias, as más condições de vida, entre tantas outras razões.

Uma grande solução encontrada por especialistas para ajudar na terapia são os animais. É comprovado que o convívio com os bichos ajuda nos tratamentos, desde problemas como câncer a profundas depressões.

Cachorros podem representar uma terapia para presidiários

Foto: Depositphotos

Cães dentro das prisões

Não é mais nenhuma novidade como o cachorro é, de fato, o melhor amigo do homem. Livres de prejulgamentos e amando sem olhar a quem, a pet terapia tem sido um importante remédio no combate à depressão e outros problemas que alastram as pessoas que vivem trancadas em presídios.

Os cães começaram a ser incluídos nos tratamentos de terapia dentro dos presidiários. A medida mostrou que além de ter sido um ótimo aliado na luta contra a depressão ainda ajuda a controlar a ansiedade, contribuindo para uma melhora nas terríveis condições de vida dos presos.

O contato entre os cachorros e os presidiários acontece a partir de simples brincadeiras como lançar bolas. Isso os ajudou muito a manter a mente mais relaxada e tranquila e a partir destas recreações, muitos presos estão tendo a oportunidade de se reabilitarem.

Alguns presídios da Itália e da Espanha já aderiram a terapia pet e o resultado tem sido fantástico. Os presos têm acompanhamentos semanais com psicólogos e durante a consulta, o especialista fica acompanhado de cães. Isso tem ajudado bastante nas sessões, pois apenas com a presença do animal, os presos conseguem se sentir mais confortáveis e seguros.


Reportar erro