Saiba por que os cachorros têm bigodes

Os pelos no focinho do peludo servem de proteção para ele, auxiliam na visão e trabalham junto ao faro dos cachorros


Você já parou para pensar porque os cães têm “bigodes” no focinho? Fazendo uma comparação entre os pelos do rosto dos humanos e os pelos no focinho dos cães, podemos entender que ambos representam uma proteção para cada um. Por exemplo, a sobrancelha nos homens têm a função de impedir que o suor entre nos olhos e cause irritação. Os cílios, por sua vez, funcionam como um “faxineiro” dos olhos, pois evita que entre poeira, insetos, entre outros.

De forma semelhante ocorre com os cães, os pelos no focinho do peludo também servem como proteção. Mas, além disso, funcionam como um órgão sensorial que auxiliam a visão dos pets e trabalham junto ao faro dos cachorros. Assim, alertam o organismo do animal através de terminações nervosas que são enviadas para o cérebro.

Os bigodes dos cães

O nome científico é vibrissas, e elas são fios longos e grossos que estão presentes no focinho, na parte superior dos olhos e na mandíbula. Podem ser considerados pelos táteis que esses animais possuem, pois na ponta de cada um existem folículos repletos de terminações nervosas sensoriais que têm como papel enviar mensagens para o cérebro dos peludos, como forma de aviso ou alerta de algo.

Saiba por que os cachorros têm bigodes

Foto: Pixabay

O que pode ser percebido com as vibrissas?

Os bigodes dos cães são sensíveis às mudanças das correntes de ar, mesmo as mais sutis. Como os cachorros não possuem uma visão evoluída, esses pelos também conseguem deduzir informações com relação a velocidade, forma e tamanho de objetos próximos. Até mesmo no escuro eles ajudam o animal a perceber objetos, animais e pessoas de forma clara.

Além disso, servem para sentir as vibrações do ar e prevenir que cães sejam surpreendidos com algum perigo. São utilizados pelos cães para determinar se eles podem ou não caber em pequenos espaços. Também agem como uma forma de defesa dos animais, principalmente durante situações de combate com outros bichos ou predadores.

Até mesmo para os tutores entenderem o comportamento do animal as vibrissas podem servir, uma vez que através delas é possível perceber como o cão está se sentindo. Por exemplo, se eles estiver se sentindo ameaçado, automaticamente, os pelos do rosto vão ficar eriçados e apontados para frente, como se estivessem armados. E assim por diante, a cada nova emoção ou novo sentimento, os pelos reagem de forma complementar.

A importância do bigode

Apesar de ser muito importante para o sensorial dos animais, muitos tutores acabam cortando as vibrissas dos cães. Principalmente, os donos que levam seus pets para competições. Esta é uma prática cruel e desnecessária, que deve ser sempre evitada e criticada por quem defende os direitos dos peludos.


Reportar erro