Picadas de insetos em cães: saiba como agir

Em casos em que o animal sofre várias picadas, o problema se agrava e eis que surgem os sintomas


Os cães são animais muito curiosos, pois ao verem qualquer coisa se movendo no chão param o que estão fazendo e vão averiguar o que se passa. Alguns outros animais que vivem no solo ou sobrevoando, despertam o interesse dos nossos pets. Pode ser uma formiga, abelha, maribondo, vespas entre outros. O problema é que ao serem tocados, alguns desses insetos  podem reagir de uma forma violenta e  assim picam e acabam machucando os cães.

A picada dos insetos pode variar de gravidade, podendo ser casos leves de apenas um incômodo no animal, ou até mesmo situações graves, que se não tratadas da maneira correta, podem levar à morte do cão. Em ambos os casos, o médico veterinário deve ser procurado com urgência, pois só o especialista pode receitar o melhor medicamento para o seu pet.

Neste artigo, vamos aprender como reconhecer as diferenças entre situações de risco e as que são leves. Vamos entender também, quais os procedimentos que devem ser levados em consideração em momentos como esses.

Picadas de insetos em cães: saiba como agir

Foto: Reprodução/ internet

Diferenças: Picada leve X Picada forte

Os sintomas em ambas as ocorrências demoram aproximadamente 20 minutos para aparecerem. Porém, logo é possível perceber a gravidade ou não do problema.

Uma das diferenças desses dois modos é a quantidade de picadas sofridas pelo cão. Em casos em que o animal sofre várias picadas, o problema se agrava e eis que surge outra diferença: os sintomas.

Inchaço no local ferido, coceiras, dores e vermelhidão. Os donos que observarem essas características no cão deve ficar atento e procurar um veterinário, uma vez que esses são os sintomas mais comuns encontrados em cachorros que foram picados por algum tipo de inseto. Já em casos mais graves, os sintomas podem variar, podendo apresentar além desses já citados anteriormente, outros tantos, como por exemplo dificuldade respiratória, edema de estrutura envolvida na passagem de ar (que pode causar asfixia) vômito, queda na pressão arterial, aumento nos batimentos cardíacos, hepatite aguda, insuficiência renal, convulsão e síncope. Todos esses casos podem até levar o animal a uma morte súbita.

Meu cão foi picado. E agora, o que fazer?

Algumas dicas podem ser úteis nessa situação, principalmente se acontecer pela primeira vez com seu cão. Por isso, saiba como agir seguindo as instruções abaixo:

  • Se seu cão foi picado, jamais retire o ferrão do inseto que o machucou, tendo em vista que ao serem removidos de forma irregular, o veneno contido nessa parte pode se intensificar, piorando ainda mais o caso do cão. Por isso, leve ao médico, ele saberá retirar da melhor maneira;
  • Caso você tenha como retirar o ferrão não utilize unha ou pinça, prefira um cartão de crédito e uma lupa de auxílio;
  •  Mantenha o pescoço do pet alto, para que ele possa respirar da melhor forma;
  • Assim que o inchaço surgir use uma compressa de gelo para controlá-lo;
  • E novamente, procure um médico veterinário com urgência.

Tratamentos caseiros

Outra forma de contribuir para a melhora do seu cão é optando pela utilização de remédios caseiros, que podem ser aplicados em casa depois da consulta no veterinário e do consentimento do mesmo.

Caso a picada sofrida pelo cão tenha sido provocada por uma abelha ou vespa, aplique na região afetada o gel extraído da babosa, uma vez que ela ajuda a controlar a sensação de queimação e a diminuir a dor. Outra dica é usar uma pasta de bicarbonato de sódio e água várias vezes ao dia por cima do ferimento.

Para tratar a coceira na pele do animal, faça uma mistura com uma colher de chá de sal e duas xícaras de água. Leve ao fogo e espere ferver. Com essa solução você pode banhar o cão com essa mistura.


Reportar erro