Passear de carro com cachorro: saiba o que pode e o que não pode

Em qualquer carro, o lugar do cão é no banco traseiro, mas além desse existem outros detalhes que devem ser seguidos


Os cães são considerados membros da família e muitos costumam acompanhar o dono em diversas atividades, inclusive nos passeios de carro. Passear de carro também pode ser muito saudável e divertido para o animal de estimação, no entanto, se o dono não tomar os devidos cuidados, a diversão pode acabar em dor de cabeça.

Andar de carro com o seu pet exige alguns cuidados para garantir a segurança de todos que estão no veículo e para evitar multas.

Como passear de carro com o cachorro de maneira adequada?

Passear de carro com cachorro: saiba o que pode e o que não pode

Foto: Pixabay

Muitos cachorros adoram colocar a cabeça para fora da janela enquanto passeia de carro, mas esse hábito pode render uma multa para o dono do automóvel. Em qualquer carro, o lugar do cão é no banco traseiro, mas existem outros detalhes que devem ser seguidos. Confira a seguir:

O cachorro não pode ficar solto dentro do carro

Quando o cachorro está dentro do carro, podem ocorrer diversas situações indesejáveis, tais como o animal pular em cima de quem está dirigindo, ele ser projetado para frente e ser jogado para fora do carro, entre outras.

O cão deve ser transportado em caixas ou nas cadeiras apropriadas e com cinto de segurança para pets. Se outra pessoa estiver no carro, o animal pode viajar no colo do carona, de preferência no banco traseiro.

O Código de Trânsito Brasileiro (CTB) prevê multas para o motorista que estiver transportando os animais de estimação sem cadeirinha e sem cinto. Neste caso, o indivíduo poderá receber uma multa de aproximadamente R$80 e ainda pode perder de três a quatro pontos na carteira (infração leve).

Além de evitar multas, transportar o cãozinho adequadamente – com a cadeirinha e o cinto de segurança – garante a segurança do animal de estimação e do motorista, principalmente em eventuais freadas bruscas ou acidentes.

O cachorro não pode ser transportado na parte externa do veículo

A legislação brasileira também afirma que os animais de estimação nunca podem ir na parte externa dos veículos. Por isto, se o seu cãozinho adora colocar a cabeça para fora da janela do carro, você poderá levar uma multa. Também é proibido levá-lo na cabine de caminhonetes.

O transporte na parte externa do veículo é considerado infração grave, o que fará com que o motorista perca 5 pontos na carteira e tenha que pagar uma multa de R$127,69.

O cachorro não pode ir à esquerda ou entre os braços e pernas do motorista

De acordo com o artigo 252 do Código de Trânsito Brasileiro (CTB), o motorista é proibido de transportar pessoas, animais de estimação ou volume à sua esquerda, entre o corpo e a porta, ou entre os braços e pernas.

Neste caso, a multa é de R$86,13 e o motorista perderá quatro pontos na carteira.

Outros cuidados importantes

Para andar de carro com o cachorro, os donos devem tomar outros cuidados importantes para garantir a saúde e a segurança do animalzinho. Confira a seguir:

Calor

Quando sair de carro com o seu pet em dias muito quentes, ligue o ar-condicionado para que o carro esteja sempre fresco. Lembre-se também de nunca deixá-lo sozinho dentro do automóvel, nem mesmo por alguns minutos.

Tirar a coleira do animal quando entrar no carro

Esquecer de tirar a coleira do animal pode causar graves acidentes, pois a guia pode enrolar-se em alguma alavanca, por exemplo.

Hidratação

Lembre-se de hidratar o seu cãozinho durante as viagens de automóvel, oferecendo-lhe água fresca. Ar também é necessário, mas não em excesso e também sem permitir que o cachorro coloque a cabeça para fora da janela. Além de ser contra as leis de trânsito, isto causará problemas de saúde para o animal de estimação, como otite, rinite, entre outros.


Reportar erro