Como fazer massagem nos animais?

Você sabia que os animais também gostam de massagem? Aprenda a fazer massagem em seu cão e descubra quais são os benefícios desta prática


Quem é que não gosta de massagem? Pois é, é bastante difícil encontrarmos alguém que não curta essa técnica. E o mesmo acontece com os animais. A massagem feita neles, entretanto, é um pouco diferente da nossa, mas traz muitos benefícios à saúde do pet e também para sua vida.

Técnicas como Reiki, Shiatsu, Anmá e drenagem linfática têm sido empregadas nos nossos amigos de quatro patas, trazendo inúmeros benefícios.

Quais os benefícios das massagens?

Como fazer massagem nos animais?

Foto: Reprodução/ internet

Os donos adeptos da massagem nos pets afirmam que não é apenas um mimo, mas um tratamento que rende muitos resultados positivos no que se trata de ansiedade, estresse, agressividade e hiperatividade nos cães e gatos. Em casos de dores na coluna e no corpo, ou ainda em casos em que cães e gatos sentem dificuldade para comer ou caminhar, por exemplo, as massagens também podem trazer muitos benefícios.

Como fazer?

Uma das massagens mais comumente usadas é o Anmá, que consiste na pressão e deslizamento dos dedos, assim como o Shiatsu e a aromaterapia, que são usados para relaxamento do corpo.

Confira o passo a passo:

  1. Determine a posição adequada para começar, no tapete, cobertinho ou com algum brinquedinho por perto. Ele deve ficar confortável.
  2. Em seguida, comece com carícias e depois com alguns movimentos suaves da cabeça até a cauda. O cão começará a relaxar e então você começará a seguir para as orelhas, bochechas, nariz, queixo, entre os olhos e sobre a cabeça. Nas orelhas, esfregue com o polegar e o indicador da base até a ponta.
  3. O próximo passo é apertar de forma suave a pele que é solta nos ombros, peito e pescoço, movendo, em seguida, os dedos nesses locais devagar em movimentos circulares.
  4. Segure os pés do cão de forma suave e, em seguida, aperte-os, mas somente quando sentir que ele está confortável. Aproveite para ver se existe algum carrapato, problemas de pele, erupções cutâneas, nódulos ou pontos com dor e fique atento.
  5. Termine com movimentos e carícias suaves da cabeça até a cauda.

Segundo Margaret Connor, veterinária e assistente de reabilitação canina, é preciso deixar o pet relaxado, deixado de lado, e manter a mesma frequência e tempo em cada um dos membros do corpo do animal. O tempo, segundo ela, deve ser, preferencialmente, entre três e cinco minutos.


Reportar erro