Calos em cachorros: trate sem complicação

Peso, sobrepeso, sedentarismo e velhice podem influenciar no surgimento das calosidades


Quem é apaixonado por cachorro não mede esforços para tratá-los da melhor maneira possível. Exitem tutores que compram a famosa caminha para o pet, e outros que dividem seu próprio espaço de dormir com o cão. O fato é que nem todo animal gosta de dormir em lugares acolchoados o tempo todo, seja pelo calor ou por preferir mais espaço, alguns cães optam por dormir no chão.

Por essa razão, muitos deles, principalmente os mais pesados, obesos ou de grande porte, apresentam no corpo alguns calos de apoio. No início podem parecer algo simples, mas se o dono não ficar atento e tentar impedir o progresso dessas calosidades, algumas complicações surgem e em determinadas situações se faz necessário um processo cirúrgico para a retirada desses ferimentos.

O que são calos de apoio?

Quando um cão passa muito tempo deitado em um chão de cimento ou de uma cerâmica irregular, ele tende a apresentar rachaduras no corpo e por usar os seus membros para se sustentar no piso, esses ferimentos receberam o nome de “calos de apoio”. Apesar de serem visualmente feios, esses calos no início são inofensivos, mas merecem atenção, evitando assim um problema mais sério no futuro.

Calos em cachorros: trate sem complicação

Foto: Pixabay

Esses calos em cães são responsáveis pelo desaparecimento de pelos em determinadas regiões e também pelo endurecimento da pele, deixando-a mais grossa e áspera neste mesmo local. Eles surgem através da pressão ou fricção em certa área do pet em um solo mais rústico e acometem cotovelos, joelhos, calcanhares ou até mesmo as laterais das patinhas dianteiras e traseiras.

Cães que idosos e sedentários estão mais sujeitos a apresentar essas calosidades. Esses fatores somados ao grande porte e à obesidade pode agravar o caso, provocando não só o surgimento de novos calos, mas também na inflamação destes.

Tratamentos e cuidados

Em casos mais leves, os calos podem se manter no corpo do cão sem o pelo, mas podem aumentar de tamanho deixando marcas feias no pet. Para evitar isso, só o médico veterinário pode receitar algumas pomadas que diminuam esses hematomas. Nas situações graves, onde os calos inflamados podem sangrar e até resultar no surgimento de bicheiras, os tratamentos são mais extensivos e claro só podem ser feitos por especialistas. Há casos em que esses ferimentos só podem ser retirados com cirurgia. Sendo assim, quanto mais antes iniciar o tratamento mais rápido será a recuperação.

Para evitar que essas calosidades apareçam, alguns cuidados podem ser tomados. Primeiramente, se o cão dorme no chão procure alternativas mais acolchoadas para que as patas dele não fiquem em contato direto com o piso áspero, alguns modelos podem ser úteis, como gramados ou um pavimento de borracha.

Como o peso também pode ser um fator de agravamento dos calos, é importante que o tutor aplique uma dieta para os cães que já estão obesos ou para os que estão começando a ficar a cima do peso. Essa saída, aliada ao exercício diário, pode auxiliar bastante na luta contra os calos. Aproveite para passear também com os velhinhos de quatro patas, apesar de se cansarem mais rápido, os cães idosos não podem cair no sedentarismo.


Reportar erro