Cachorros podem participar dos festejos juninos?

Os cuidados com os cães nesta época do ano devem ser redobrados. Não só com relação a alimentação, mas também no quesito segurança


O mês de junho é conhecido pelas festas juninas, pois é durante este período que são comemorados os dias de alguns santos católicos e o mais conhecido deles é o São João. Durante as festividades, que em algumas cidades do Brasil duram os 30 dias do mês, as pessoas costumam se vestir com roupas xadrez, fazem fogueiras, soltam fogos de artifício e o melhor, desfrutam de uma culinária bem especial.

Pamonhas, canjicas, milhos assado ou cozinhado, pé-de-moleque, bolo de milho. Ah, só de pensar na riqueza de receitas que existem no mês de junho, a boca enche de água. Mas, será que além dos humanos, os cães também podem desfrutar dos pratos típicos desta época do ano? Quais seriam as melhores orientações para os tutores, principalmente os de primeira viagem, durante as festividades juninas?

São João seguro e saudável para o pet

Cachorros podem participar dos festejos juninos?

Foto: Reprodução Pet Party/ by Carla Zajdenwerg

Os cuidados com os cães nesta época do ano devem ser redobrados. Primeiro com relação à segurança do animal, tendo em vista que no São João as pessoas gostam de soltar fogos de artifício. Este é um problema grave, mas que muitas vezes o tutor não dá a devida importância. Para se ter uma ideia, os peludos escutam um barulho quatro vezes mais longe que os seres humanos. Enquanto a humanidade percebe sons na faixa de 10 Hz a 20.000 Hz, o ouvido canino consegue identificar frequências sonoras de 10 Hz a 40.000 Hz.

Portanto, um som considerado baixo para a audição humana, pode ser um barulho estarrecedor para um cão. Por isso, nos festejos juninos, alguns cães costumam ter diferentes reações. Enquanto uns choram, se escondem ou até mesmo urinam de medo, outros podem colocar à própria vida em risco por tentar enfrentar um barulho com agressividade. Desta forma, deixe o animal em um local seguro e confortável para ele. Tenha cuidado também com portas abertas, um peludo assustado pode sair correndo sem direção e acabar se perdendo.

Além disso, a alimentação do cachorro deve ser uma preocupação constante do tutor. Tendo em vista que, nesta época do ano os peludos estão mais propensos à comer em excesso e a ingerirem comidas condimentadas, ricas em carboidratos, com muita gordura ou demasiadamente açucaradas. Isto acaba se tornando um problema para a saúde dos pets, principalmente para os que possuem distúrbios cardíacos ou que estão acima do peso.

Alimentação correta para os cães

Tanto a ração de boa qualidade, como uma alimentação natural planejada e balanceada, são as opções ideias para compor as refeições dos cachorros. Além, é claro, de água filtrada. Mas, se o tutor deseja variar a alimentação do peludo, ele pode apostar e petiscos, que podem ser encontrados em pet shops ou produzidos em casa mesmo. De acordo com o site PetMag, o Hospital Pet Care desenvolveu uma receita caseira de biscoitos caninos.

Ingredientes

  • 2 xícaras de farinha de trigo;
  • 1 xícara de milharina;
  • 1 colher (de sopa) de sal;
  • 1/3 xícara de óleo de milho ou girassol;
  • 1 ovo;
  • 1 xícara de água.

Modo de preparo e consumo

Deve-se começar pelo preaquecimento do forno em 175 °C. Enquanto isso, todos os ingredientes devem ser colocados em uma tigela e mexidos com a mão. Quando a massa estiver homogênea, é preciso fazer bolinhas com ela e dar o formato do biscoito que preferir. Em seguida, untar uma fôrma e levar os petiscos para o forno, processo que levará de 20 a 25 minutos. Depois de frio, os biscoitos devem ser armazenados em um recipiente com tampa e o animal só deve consumir até dois por dia.


Reportar erro