As orientações de segurança para quem vai viajar com o animal de estimação

Viajar com o pet é uma decisão que deve ser tomada após a organização, com antecedência, de todas as medidas de segurança e conforto para o animal


Se viajar já é prazeroso, imagine como é poder sair por aí da viagem com o seu melhor amigo de quatro patas? A diversão, certamente, já estará garantida. Quando um tutor sai de férias e decide colocar o pé na estrada, ambos os lados sofrem quando o cãozinho não pode acompanhá-lo na aventura. Tanto o dono, quanto o animal sentem a falta um do outro. É sempre uma preocupação para os papais ter que deixá-lo sob a responsabilidade de terceiros e para o peludo a pergunta “que horas ele volta?” parece não ter resposta.

Na verdade, viajar com o pet não é uma decisão que deve ser tomada da noite para o dia. É preciso organizar com antecedência todas as medidas de segurança e conforto para o animal. Afinal, dependendo de como você vai viajar, existem regras que devem ser seguidas. Isso sem contar nos cuidados na área da saúde do cão, antes de embarcar nas viagens divertidas ao lado de seu tutor.

Segurança no transporte escolhido

As orientações de segurança para quem vai viajar com o animal de estimação

Foto: Reprodução/ internet

Cada veículo tem suas especificidades com relação ao transporte de animais. Tanto carro, ônibus ou avião, há regras que devem ser seguidas quando o assunto é levar o seu peludo para curtir as férias com você. Fique atento as normas:

  • Carro: Quando a escolha for o carro, é necessário que o tutor saiba que o animal precisa estar com o cinto de segurança apropriado ou então dentro de caixas de transportes, ambos os produtos podem ser encontrados em petshops. É proibido levar o animal no colo, no piso do carro ou com a cabeça para fora da janela. Isso porque além de está colocando em risco a vida do cão e dos passageiros, também gera multa ao motorista;
  • Ônibus: Cada frota tem suas regras particulares com relação ao transporte de animais, por isso é importante conferir junto as agências com antecedência e procurar conseguir os documentos necessários. No geral, o tutor precisa apresentar um atestado assinado por um veterinário que comprove as boas condições de saúde do animal. O cão não pode ficar solto no ônibus, então se faz necessário uma caixa de transporte. E para que o peludo possa ficar ao lado de seu dono  é necessário que este pague uma taxa extra;
  • Avião: Assim como as linhas de ônibus, as agências aéreas também possuem regras que diferem uma das outras. Desta forma, busque se informar antes. De maneira geral, para transportar o pet dentro de um avião é preciso portar atestado de saúde recente e carteira de vacinação completa. Além disso, o animal precisa estar dentro de uma caixa de transporte que contenha compartimentos que evita a evacuação de fezes e urinas. O tutor que quiser ir nas nuvens com o seu melhor amigo peludo, precisa pagar uma taxa extra e com antecedência, tendo em vista que muitos voos limitam a quantidade de animal.

Antes da viagem, um cuidado com a saúde

Além de ser necessário para conseguir viajar com o animal em alguns meios de transporte, o atestado de saúde é importante para garantir o bem-estar do seu peludo. Isso porque, em alguns casos, o cachorro não está acostumado com longas horas de viagem e podem passar mal. Levando em consideração essa situação que pode vir a ocorrer, busque o auxílio veterinário para que o especialista de sua confiança dê dicas de como reagir a momentos de adversidade com seu melhor amigo de quatro patas.


Reportar erro