Modificações no comportamento do cachorro na fase idosa

Quando velhinhos nossos amigos sofrem mudanças que podem ser tratadas ?


Quem já teve um pet que cresceu e envelheceu por perto, sabe que alguns hábitos, assim como nos humanos, podem aparecer com a chegada da idade mais avançada. Se você ainda não passou por isso, mas tem um cãozinho, é bom conhecer e se preparar para oferecer todos os apoios e suportes necessários para essa fase tão difícil para o seu amigão. É preciso de paciência e conhecimento, pois assim o cãozinho idoso vai viver essa fase tranquilamente ao lado daqueles que ama. Confira quais são essas modificações comportamentais que podem ocorrer.

Perda do aprendizado

Sabe aqueles truques super legais que você ensinou ao seu pet quando ele era mais novo? Pois é, pode ocorrer dele perder esse aprendizado quando a idade avançada chegar. Não force a barra pedindo a patinha, mandando sentar ou outras coisas, pois seu amigo está diferente agora. Outro aspecto que também pode existir é a perda do ato de urinar e defecar nos locais ensinados. Tenha paciência, pois ele esteve muitos anos ao seu lado e cuidou de você. Agora é a sua vez de cuidar dele.

Desorientação crescente

Pode ser que o cão passe também por uma crescente desorientação, parecendo viver em um mundo diferente do seu. Pode ser também que ele passe a não reconhecer algumas pessoas conhecidas, ou ainda que se isole por longos intervalos – mais de meia hora – em um canto de parede ou ainda de frente para um móvel e, até mesmo, em alguns casos, girando ao redor de uma mesa.

Modificações no comportamento do cachorro na fase idosa

Foto: Pixabay

Alteração do ciclo do sono

Seu cãozinho tinha uma vida ativa e dormia bem durante a noite, enquanto que no período diurno brincava e latia para os carros na rua? Isso também pode mudar com a chegada da idade. Os cães podem passar a dormir mais durante o dia e, à noite, passam a movimentar-se sem objetivo, em algumas vezes, inclusive, fazem circuitos repetidos e sem fundamento.

Ansiedade da separação

A ansiedade da separação é uma das mudanças mais comuns que acometem cães mais velhos. Quando ele sente que o seu dono está para sair de casa e deixá-lo sozinho, o mesmo começa a ficar muito ansioso. Isso pode afetá-lo em diferentes níveis, podendo, inclusive, fazer com que o cão defeque, urine e salive muito. Os cães que têm essa ansiedade ficam realmente muito contentes ao ver que seus donos retornaram. Para resolver o problema, não faça rituais de saída. Mude sempre os hábitos e ensine-o a relaxar.

Agressividade

Alguns cães mais velhos podem acabar se tornando mais agressivos devido à dores – como artrite, por exemplo –, perda de audição ou visão, doenças mentais, falta de mobilidade, doenças que têm efeitos sobre o sistema nervoso, entre outras. É importante determinar qual a causa real da agressividade e, para isso, é essencial levá-lo ao veterinário. Isso poderá, inclusive, melhorar a qualidade de vida do pet.

Fobia de ruídos

É possível ocorrer ainda de o cão idoso tornar-se muito sensível à ruídos, aumentando o estresse e o medo. Você deve identificar quais são os sons que o deixam assustado e tentar relacionar o comportamento do animal com outras ocorrências, pois nem todos os sons que os cães ouvem, nós também ouvimos. Esse tratamento pode envolver medicação, treinamento condicional entre outras formas.

Aumento de latidos e sons

Os cães podem também passar a uivar com maior frequência, latir mais e até mesmo lamentar-se mais. Ele pode usar isso como uma forma de ganhar atenção ou ainda tentar avisar ao dono que não está com falta de mobilidade. Quando isso ocorrer, procure um veterinário para que a causa real seja identificada e tratada corretamente.


Reportar erro