Erros comuns no adestramento de cães

Educar e criar um cachorro da melhor maneira possível requer tempo, paciência e empenho do tutor. Confira algumas dicas e orientações sobre o assunto!


Ensinar aos cães que o xixi deve ser feito em jornais no chão ou mesmo em outros locais adequados, mas nunca no tapete ou em camas, não é uma tarefa tão fácil quanto se parece. Educar e criar um cachorro da melhor maneira possível requer tempo, paciência e empenho do tutor.

Querer que o animalzinho aprenda comandos da noite para dia ou as regras da sua casa em apenas uma semana está totalmente fora de cogitação. Da mesma maneira que demoramos para andar, falar e também decidir o que é correto ou não, ocorre com o cão. Ele também passa por esse longo processo de aprendizado, basta o dono saber lidar com todos os percalços dessa caminhada.

A única certeza que se tem, é que o animalzinho oferece aquilo que lhe é ofertado. Isto é, se ele é criado com agressividade, ele irá se tornar agressivo. Mas caso o dono trate-o com amor, ele saberá retribuir em lambidas proporcionais.

Erros comuns no adestramento de cães

Foto: Pixabay

Erros comuns no adestramento

Na fase de filhote, entre dois a quatro meses, o adestramento pode começar a ser feito para que o animal não crie vícios desde pequenos. Logo nessa fase inicial, os donos tendem a pecar em algumas instruções, que podem pesar no futuro. Veja algumas delas:

  • Comprar um animal sem conhecer a personalidade dele: O erro mais comum de todos é o dono comprar um cão sem conhecer a raça dele. Ter noção das características, se ele cresce muito, se é muito brincalhão ou mais calmo. O tutor tem que escolher o animal que mais combina com o modo de vida dele. Então pergunte muito aos criadores, queira os detalhes e ache aquele que mais se parece com você.
  • Dar bronca sem ensinar: Não há como exigir de alguém algo que não foi lhe passado. Não é verdade? A mesma situação ocorre com os animais, se o dono não ensinou que o lugar adequado de fazer xixi, ele vai fazer em qualquer lugar da casa. A dica é que quando o filhote fizer onde deve ser feito, ele seja recompensado. Caso contrário ele é “punido”.
  • Bater nos animais: Falando em punição… Jamais trate seu cachorro com violência. Procure outras formas de puni-lo. Seja borrifando água, quando fizer algo de errado ou utilizando comandos específicos para aquela ocasião.
  • Dar comida sem ser a hora certa: Cães são extremamente pidões, mas você pode mudar este hábito nos filhotes. Se no momento em que você estiver comendo, seu cachorro estiver espiando, mande-o deitar ou sentar e ignore-o, se ele obedecer, dê-lhe um petisco. Jamais ofereça algo que você esteja comendo, agindo de forma contrária, você estará incentivando o seu cão a pedir comida, sem está no horário certo das refeições dele.
  • Aparecer para o filhote quando ele estiver chorando ou latindo, quando você precisa deixá-lo só: Se você é daqueles que trabalha o dia todo e precisa acostumar seu cão a viver sozinho em casa, não é aconselhável surgir para ele, quando o mesmo estiver chorando ou latindo por atenção, na tentativa de acalmá-lo. Desta forma, você só estará colocando mau costume no seu amigo. Pois na sua ausência ele vai se “esgoelar” na ânsia de te ver aparecer.
  • Deixar filhotes subirem em sofás e camas: Existem raças que não ficam pequenas para sempre. Crescem tanto que não podem mais fazer o que podiam quando eram filhotes. Por essa razão, pense no futuro, mesmo sem esquecer do presente, claro. Se você deixa o filhote de São Bernardo dormir na cama, não reclame quando ele ficar adulto e tentar fazer o mesmo.
  • Acreditar que raças pequenas não dão trabalho: Um dos maiores erros das pessoas é achar que a agressividade do cão se mede pelo seu tamanho. O tamanho da doçura do Labrador corresponde ao seu tamanho, e olhe que eles são grandes! Do mesmo modo acontecem com os famosos Chihuahuas, que o que têm de pequenos têm de “bravinhos”. Desta forma, procure educar da melhor maneira possível, independente de tamanho ou raça.
  • Dar bronca depois de muito tempo: Os cães não possuem um raciocínio tão lógico quanto o dos humanos. Se ele aprontou alguma e você não estava na hora da traquinagem, nem adianta brigar quando ver o desserviço. Eles vão achar que você está brigando porque está estressado. “Mas, mesmo nessa situação o meu cão faz aquela carinha de arrependimento.” Essa carinha é feita para tentar atingir o seu emocional. Eles não sabem o porquê de você estar brigando, mas querem a todo custo te fazer parar de gritar, e essa é uma das formas.
  • Falar muito com o cão: Especialistas garantem, os animais com um certo tempo aprendem comandos e entendem qual o nome deles. Porém, os cães não entendem nada quando você coloca para falar. Podem até prestar atenção, mas entender que é bom, nada. Evite na hora de dar bronca, por exemplo, falar muito, assim você evita o seu desgaste e o cão não vai ficar confuso.


Reportar erro