Podemos bater no cachorro para educá-lo?

A resposta para essa pergunta é não. Além de ser uma judiação bater, essa técnica não resolve e ainda piora o comportamento do peludo


A resposta para essa pergunta é um gritante e fervoroso não. Além de ser uma judiação bater em um cão, essa técnica não resolve e ainda piora o comportamento que o tutor deseja corrigir em seu peludo. Muitos donos de cachorros, principalmente os de primeira viagem, não sabem reagir as peripécias que os cães fazem, seja puxar a roupa do varal, destruir o jardim, picar todo o papel higiênico ou roubar a comida da mesa. E para isso, a solução que muitos encontram é a agressão, que pode ser psicológica ou física, mas que no geral não funciona.

Mas afinal, como corrigir os erros do cão sem bater? Como conseguir bons resultados em um treinamento? Qual a punição ideal? As dúvidas são inúmeras, mas vamos tentar resolver esse problema juntos.

Porque não se deve bater em um cão?

Como já dito, o ato de bater no cachorro não resolve o problema. Pelo contrário, tendo essa atitude é capaz de desencadear outros ainda mais graves. Primeiramente, é preciso entender que os cães não reagem da mesma forma. Dar umas palmadas em um cão pode fazer dele um medroso de carteirinha ou um valentão mordedor.

Das duas uma. Ou o cão fica com medo do dono, mas isso não resolve o problema, pois ele pode cometer o mesmo erro na ausência do tutor. Ou ele pode se tornar um animal raivoso, que responde com mordidas e ameaças de ataque a qualquer movimento brusco feito por qualquer pessoa, até mesmo uma criança que tente abraçá-lo.

Então, além de ser uma atitude covarde dar palmadas em um cão, bater simplesmente não funciona. Isso porque o cão pode se tornar perigoso ou um medroso que comete os erros na ausência do tutor.

Ignorar o cão resolve o problema?

Assim como bater, ignorar o cão por dias não resolve e nem modula o comportamento do animal. As pessoas precisam entender que a mente de um cachorro é diferente da do ser humano, isso porque os homens conseguem lembrar e pensar no que fizeram há uma semana atrás, por exemplo. Cães, pelo contrário, não conseguem relembrar o que aprontaram nem mesmo ontem.

Podemos bater no cachorro para educá-lo?

Foto: Reprodução/ internet

O ato de ignorar o seu peludo, pode ser para você uma forma para que ele reflita no que aprontou. Mas para o cachorro, é só uma forma cruel de você se afastar dele. A presença do tutor e o afago são coisas preciosas para os animais, então não castigue o pet com “gelo”, pois não funciona na educação e só enfraquece a relação entre vocês.

Então, o que deve ser feito?

Educar é a palavra chave. Os cães precisam de limites e devem saber que o líder da família não é ele, mas sim você. O treinamento ideal pode ser feito de duas formas: uma punição no momento exato da atitude errada e uma recompensa no instante preciso de um bom comportamento. Em outras palavras, deve ser considerado não só os momentos ruins, mas também e, principalmente, os bons. Cães aprendem mais rápido com recompensas do que com castigos.

A técnica da recompensa

É tão comum se estressar com as bagunças que o pet faz dentro de casa, que quando ele faz algo correto não é dado importância. Agir assim está errado e pode até atrapalhar no aprendizado do seu cachorro. Busque elogiar, presentar com brinquedos ou petiscos ou então dar muito carinho e afagos ao seu amigo peludo quando o mesmo optar por fazer coisas certas.

Por exemplo, um cão que passa pelo quintal e não mexe nos panos estendidos no varal merece ganhar um petisco bem gostoso e um “boa, garoto!”, seguido de carinho na cabeça. Desta forma, o cão se sente motivado a fazer o que é certo. Outro caso é um animal que costumava espiar e um certo dia decide não ficar no “pé da mesa”. Esse “milagre” deve ser incentivado com uma recompensa, dê um brinquedo novo ao pet e agradeça o bom comportamento.

Técnicas de susto ou desconforto

Bastante cuidado ao escolher um desses métodos. Se o cão for medroso escolha uma técnica que lhe cause desconforto e não susto. Lembre-se: a proposta é educar o cão e não piorar o comportamento dele. Todas essas dicas devem ser colocadas em prática no momento exato do “delito”, nem antes e muito menos depois. Veja como funciona cada opção de treinamento e selecione o melhor para o seu cãozinho:

  • Chocalho da disciplina: Essa ferramenta causa susto no pet, então tome cuidado ao usá-la. Pegue uma lata e insira moedas, pedras ou bolinhas de gude. Ao ver o cachorro fazendo algo de errado, balance o recipiente. O conteúdo no interior da lata vai provocar um barulho que o cão vai associar a determinada ação;
  • Spray com água: Ao contrário da anterior, essa técnica não causa susto, mas sim desconforto. Alguns cães detestam serem molhados, assim essa se torna uma forte arma para treinar o pet. Borrife a água no cão no momento exato que ele fizer algo de errado, com a repetição ele vai aprender;
  • Jato de ar: Desde a bomba de encher pneus de bicicleta, até um extintor. O primeiro é mais fraquinho, e pode servir para casos isolados. O segundo, mais forte, pode ser um ótimo aliado para separar uma briga entre cães. Saiba moderar e usar qualquer um dos dois só quando for preciso.

Um fato importante que deve ser levado em consideração, é ter em mente que não pode deixar o animal concluir a ação errada. Reprima o erro logo no início usando uma das técnicas ensinadas. Desta forma, você vai está fazendo com que o cão fracasse em sua atitude errada. Trabalhe com paciência e amor para educar o seu melhor amigo de quatro patas, esses são mais alguns dos segredos de um adestramento de sucesso.


Reportar erro