Adestramento de cães com o clicker

Aprenda como usar o clicker no adestramento de cães e consiga resultados positivos com essa técnica.


O sonho de qualquer tutor é ver seu cãozinho obedecendo todos os seu comandos, do “senta!” até o “pare de latir!”. É claro que os cães não entendem todas as palavras ditas pelo dono, uma vez que o ser humano não fala a mesma língua que eles. Porém, existem vários métodos de adestramento e, entre eles, está o clicker.

Já imaginou com apenas um barulhinho conseguir fazer o seu pet reproduzir tudo o que você deseja? Pois é exatamente isso que o clicker proporciona aos donos de cães. O aparelho emite um som, que deve ser associado a algo bom para o animal, e o melhor, pode ser introduzido em qualquer fase da vida do cão.

Como surgiu o clicker?

Duas estudantes de psicologia, com a ajuda do professor, criaram o treinamento com clicker. No caso das alunas, a ideia era treinar pombos selvagens para que eles executassem algumas atividades ordenadas por elas. E foi durante a pesquisa, que eles perceberam que as aves não compreendiam só com elogios e recompensas. Era preciso um mecanismo mais preciso, ágil e eficiente, e então surgiu o clicker.

Adestramento de cães com o clicker

Foto: Reprodução/ internet

Um aparelho pequeno e portátil, que ao ser pressionado emite um som. No treinamento deve ser associado com algo bom, seja comida, brinquedo ou qualquer outra ferramenta. Ele serve de alerta de “tem prêmio chegando”.

Adestrando com o clicker

Você mesmo pode usar o clicker no adestramento do cão. Outro aspecto considerável é que não importa a idade do pet, podendo ser tanto filhote ou adulto, o treinamento, se bem realizado, surtirá em efeitos positivos. Inclusive, existem algumas técnicas que são muito utilizadas, como ensinar, incentivar e modelar. E em todas elas o clicker é indispensável.

Ensinar

O primeiro passo é ensinar ao pet o que você deseja que ele faça. Nunca grite ou use de violência para adestrar o cão, esses métodos além de serem maldosos, são inúteis e atrapalham na aprendizagem.

Se você deseja que o seu melhor amigo de quatro patas aprenda a sentar, não é correto abaixar o seu quadril forçando o ato. A dica é mover lentamente o petisco do focinho para trás da cabeça do cachorro, assim você conseguirá que ele sente, sem forçar nada. Assim que o cão conseguir realizar a ação desejada aperte o botão e dê a recompensa. Repita sempre esse método.

Esse modo pode ser usado para outras atividades mais complicadas, como por exemplo, fazer o cão parar de latir. Todo intervalo de tempo, em que o cão estiver em silêncio, pressione o clicker e ofereça um petisco.  Com repetição, o pet vai entender e associar o barulho a algo bom.

Incentivar

Nesse método, a atenção deve ser redobrada. O clique e a recompensa devem ser efetuados quando ocorrer a boa ação do pet, caso contrário, ele não vai entender. Por isso, espere que seu cão faça algo que lhe agrade espontaneamente. Vale sentar, dar a pata, deitar, ficar quieto e caladinho. Quando você observar esse comportamento, pressione o clicker e dê, em seguida, a recompensa. Repita esse procedimento sempre que puder.

Um fator importante é a precisão do clique. Ele deve ser exato, no momento do bom comportamento do cão. E claro, a recompensa também deve ser aplicada com exatidão e ser algo que seu cão goste muito. Depois de um certo tempo, você nem precisará mais dos petiscos.

Modelar

Neste estágio, o cão já vai estar craque, isto é, já vai estar associando o som a algo bom, e você não precisará mais utilizar recompensas. No caso da modelação só fará sentido se o cão já aprendeu algum comando e você deseja que ele aperfeiçoe ainda mais.

Por exemplo, se você deseja que o cão aprenda a fechar uma porta, será preciso uma série de ensinamentos antes. Ensinando e incentivando as ações do cão, você obterá resultados positivos.


Reportar erro